desenho árvore genealógicaA Genealogia é o estudo da história, das origens e evoluções e propagação das famílias e seus nomes e sobrenomes. Tem como foco ciências como Sociologia, Economia, Artes, etc.

Essa ciência faz o histórico dos antepassados e de seus descendentes, assim como identifica as características de cada um.

Genealogia vem do grego e significa, Genea 'geração', logia 'estudo'. De acordo com o dicionário Aurélio, a palavra é descrita como o estudo das origens das famílias, assim como, dos seus descendentes e ascendentes.

A Árvore Genealógica, um dos objetivos da Genealogia, e trata-se de um agrupamento ou representação da ascendência/descendência de um indivíduo, chamado probandus. A partir dele, ramificações são ligadas aos outros membros da família e, por esse motivo, recebe esse nome: as ramificações são iguais a uma árvore.

História da Genealogia

A forma de coletar os dados genealógicos era oral e somente feita através da memória, por meio da pesquisa dos próprios familiares que contavam a história da família. No início, os gregos usavam a Genealogia para montar a árvore genealógica dos deuses gregos, e descobrir a origem, evolução e biografia deles. Personagens como Zeus, Afrodite e Poiseidon fazem parte da mitologia grega e deixaram uma herança histórica e cultural para a humanidade. Outro uso era traçar a geração daqueles que iriam se alistar em cargos importantes (como posições religiosas e militares).

Há relatos de que a Genealogia possa ter surgido com os Celtas, há três mil anos. Outros dizem que foi descoberta a partir de São Lucas e São Mateus, evangelistas da Bíblia que escreveram a genealogia de Maria e de José.

O estudo foi ganhando força na Idade Média, quando havia a necessidade de comprovar as linhagens nobres dos indivíduos para conceder-lhes alguns benefícios de sua nobre função.

Arthur Oswald Barron, formado no curso de jornalismo e apegado aos assuntos genealógicos e heráldicos (arte dos brasões), afirmou que somente a partir do século XVI, essa ciência passou a ser o ramo de estudo de família separadas.

Atualmente, ela é usada para descobrir os laços entre seus antepassados e desvendar a formação da sociedade de uma determinada região, de determinadas doenças genéticas e a 'sequência familiar' ou linhagem de uma pessoa. Pode ser um hobbie para os curiosos ou uma forma de preservar o passado histórico de determinada família. A Genealogia sempre estará relacionada à História, na sua busca para resgatar os aspectos sociais e familiares das sociedades.

No Brasil, em 1838, houve a criação do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, que publica uma revista sobre o assunto desde 1839. Outra associação famosa que contribui para o estudo é a INGERS – Instituto Genealógico do Rio Grande do Sul - e dentro dela, existem outras associações relacionadas à Genealogia.

Uma dica para os iniciantes, comece sua árvore genealógica por você e vá pesquisando documentos importantes como: registros, fotografias, certidões, identidades, etc. Colha todos os registros. Pesquise também em igrejas, registros civis, documentos históricos e públicos. Além disso, também existem os bancos de dados públicos, os  bancos de dados privados e alguns profissionais que estão voltados inteiramente para o ramo da Genealogia e, assim, compartilham a informação com milhares de famílias.

Maravilhe-se nesse mundo de eternas pesquisas e conheça o passado de sua família!

Como Fazer sua Árvore Genealógica

porta lápisPara conhecer a história de sua família, a produção de uma árvore genealógica é uma ótima opção para descobrir as suas origens. Existem das mais simples às mais complicadas e completas com muitos dados. Para se fazer uma árvore genealógica, existem vários sites especializados que fazem uma pesquisa de acordo com o seu sobrenome. Mas, inicialmente, você poderá criar uma manualmente com uma pesquisa, que necessita de bastante dedicação.

Entreviste seus familiares e anote os seguintes dados, começando por você:

  • Data de nascimento, batismo, falecimento;
  • Nomes, naturalidade, tipos de doenças, profissões, níveis de escolaridade, religião, relações de parentesco, padrinhos, testemunhas;
  • Procure fotos dos parentes, anotações, livros, listas telefônicas e faça depoimentos (poderá gravá-los);
  • Escritura de terras, testamento, inventários;
  • Local e tempo de moradia;
  • Informações não confirmadas, como aqueles contos ditos por seu tataravô ou contadas sobre ele;
  • Instrumentos que tocavam, clubes que participavam, criações próprias, como obras de artes, cidades que visitou, fatos interessantes que aconteceram;
  • Anote os traços físicos das pessoas;
  • Procure certidões de casamento, nascimento, óbito, passaporte, carteira de identidade, carteiras de estrangeiros, título eleitoral, certificados escolares, etc.

Dica: Produza uma Folha de Registro de Grupo Familiar. Ex.:

Pai
Nome Completo
Nascimento Data e Local
Casamento Data e Local
Falecimento Data e Local
Nome do Pai
Nascimento Data e Local 
Nome de solteira da Mãe
Nascimento Data e Local
Outras esposas
 Endereço completo (atualizado)
 Telefone

 

Obs.: Ao colocar o nome dos filhos, sempre coloque em ordem de nascimento. Preencha todos os dados e para cada formulário de registro, coloque o das famílias separado: primeiro os seus pais e filhos, depois os seus avós e filhos, depois tataravós e assim sucessivamente.

Procurando Documentos

Tenha o máximo de documentos que encontrar. Ainda mais dos seus parentes vivos. Faça entrevista com eles, envie e-mails para os mais distantes. Guarde-os por ordem de importância:

 

Documentação 
Tipo de Documento Válidos a partir de:
Registro de Batismo e Casamento 1563.
Registro dos Óbitos 1614.
Registros Civis 1870.
Registro de Recenseamento  1790.
Registro de Militares 1790.
Registro de Imigrantes e Naturalizados 1780.
Fontes Dinásticas 1600.
Obituários 1700.
Arquivos judiciários 1600.

 

Obs.: Os documentos acima começaram a valer a partir da data citada. De acordo com o país, esses dados poderão ser encontrados, antes dessas datas. Procure também em Centros de História da Família, da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos últimos Dias (Mórmons), na internet ou mesmo, faça visitas.

Documentos Mais antigos

  • entrada da igrejaParóquias, nos arquivos paroquiais (arquivos de diocese) e livros paroquiais (desde o século XVI, igrejas católicas e protestantes foram obrigadas a registrar sua documentação: matrimônios, batismos, enterros);
  • Cartórios de Registro Civil (pessoas que nasceram após 1991);
  • Arquivos Históricos ou Públicos, municipal, estadual ou Nacional;
  • Teatros, escolas, bibliotecas (públicas, financiadas pelo governo; especiais, ligadas à igrejas, instituições, à indústria e podem ser encontradas publicações diferentes da habitual; particulares e virtuais);
  • Institutos relacionados à Genealogia, como o INGESC - Instituto Genealógico de Santa Catarina;
  • Institutos Históricos e Geográficos espalhados pelo país, como por exemplo, o IHG - Instituto Histórico e Geográfico do Mato Grosso do Sul;
  • Cemitérios;
  • Arquivos judiciários;
  • Biografias, heranças como anotações, cartas, diários antigos podem ser encontrados com alguém da família;
  • Livros de história para a compreensão da história de sua região e da população;
  • Leitura de outros idiomas. Nas igrejas poderá haver documentos que estão em outra língua e para isso você precisará traduzi-los.
  • Entidades públicas ou privadas voltadas para a pesquisa histórica;
  • Juntas comerciais, repartições públicas, municipais, estaduais e federais, etc.

Obs.: Caso não encontre os documentos nas igrejas que foram destruídas ou queimadas, procure nos arquivos públicos, pois podem existir cópias.

Início dos registros civis nesse país:

Brasil - 1870

Japão - 1871

Portugal - 1911

Alemanha - 1876

França -1789

Espanha - 1870

Itália - 1861 

Veja alguns sites que podem ser encontradas algumas informações:

Um dos maiores exemplos de Genealogia, como já citado, são os Mórmons que, no Brasil, já microfilmaram muitas informações antigas sobre a Genealogia Brasileira . Pode ser que você encontre algo sobre sua família no Family Search. Apesar do site estar em inglês, é possível encontrar algumas informações através da busca, coloque o nome de seu país e encontre o centro da família mais próximo, pois em seu banco de dados são disponibilizadas informações sobre os antepassados, pessoas com linhagens semelhantes, novas informações, etc.

Mesmo se não encontrar as informações que precisa, não pare de procurar. Veja pela internet se outras pessoas estão pesquisando sobre algum de seus ancestrais. Se a pesquisa se tornou escassa pela Web, busque visitar bibliotecas e veja também, até qual época você já pesquisou e procure por documentos antigos, no item anterior. Após recolher todos os dados e documentos, siga o procedimento para organizar os dados:

- Faça cópias;
- Compre um caderno e registre tudo, ou...;
- Monte um banco de dados pelo computador, através de softwares que trabalham com a Genealogia;
- Monte a sua árvore da família ou árvore genealógica;

- Busque fazer gráficos para ilustrar as suas gerações;
- Faça fichas de cadastro para anotar os dados importantes.

Os erros que se pode ter em uma pesquisa genealógica são: não preencher relatórios ou mesmo não procurar informações com parentes, mapas, locais; desconhecer a história da sua região, também é algo que dificulta a pesquisa, assim como, a desorganização na hora de anotar e coletar depoimentos, não retirar cópias dos documentos, não guardar um arquivo mestre, não prestar atenção em histórias e desistir.

Transcrição do Trabalho

Descreva as gerações em cadeias, ascendentes ou descendentes e use uma gráfico ou um modelo para ilustrar isso. O probandus, que é pessoa base, será a pessoa central na produção da árvore. Será por ela que se iniciará a árvore. Logo em seguida, todos os seus parentes serão representados por ramificações. Você poderá fazer uma planilha no Excel.

Geralmente, as árvores genealógicas se iniciam dos parentes mais antigos até os mais novos e a parte feminina se localiza a esquerda da representação, enquanto o masculino à direita.

Quando a quantidade de pessoas da sua árvore aumentar, será necessário o uso de softwares de computador, pois, talvez, a sua representação não caberá num pedaço de papel ou cartolina. Além disso, a árvore começará a ficar desorganizada. Faça a transcrição de toda documentação e vá formando a história da sua família em formato de livro. É um trabalho longo, mas que confere muitas maravilhas para que inicia a pesquisa.

Genealogia na Medicina

simbolo da genéticaNa Genética, as genealogias são conhecidas também como heredogramas, que são representações da transmissão de genes (segmento que carrega as características hereditárias em uma família). Essas representações indicam o sexo dos indivíduos de uma família, a ordem de nascimento, o grau de parentesco, etc.

Por meio do seu estudo, é possível descobrir as características hereditárias transmitidas de geração a geração. A árvore genealógica auxilia na descoberta de doenças genéticas, como por exemplo, diabetes, colesterol, problemas no coração, etc.

O indivíduo poderá descobrir a história clínica da família, caso a árvore genealógica seja precisa e completa. Um exemplo disso, são pessoas cuja família tem origem nas raízes judaicas. Geralmente, o médico procurará saber qual a descendência e o grupo a que é originado (sefardita, oriental ou asquenaz), pois existem doenças genéticas encontradas em determinado grupo e no outro não.

Como atualmente os nossos antepassados estão espalhados ou moraram em vários lugares, fica difícil para o médico descobrir a linhagem de doenças genéticas pertencentes a uma família. Por esse motivo, é interessante que uma pessoa tenha esse histórico fazendo uma pesquisa, que deve ser completa, com todos os seus parentes. Só assim é possível dar um aconselhamento necessário para uma família.

Algumas das informações que podem ser coletadas são: consumo de drogas e álcool, tipo de alimentação, abortos espontâneos ou provocados, crianças que morreram na infância, doenças infecciosas, etc. Outras questões são a data e o local do nascimento, o país, a cidade ou a região, o hospital.

Quanto aos documentos, são pesquisadas cartas genealógicas e linhagens, na busca fiel de dados, inclusive sobre a saúde dos antepassados, para garantir a vida saudável das futuras gerações.

Com a detecção precoce, há uma chance para famílias com doenças hereditárias terem uma esperança fazendo tratamentos. Através do relato da história clínica da família um indivíduo poderá ajudar os médicos a diagnosticar doenças. Com essa investigação, os pacientes se tornam mais preparados e bem informados sobre a sua árvore genealógica e os riscos a sua saúde.

Árvore Genealógica Médica

Para fazer a sua genealogia médica, faça uma tabela com todos os seus parentes diretos e anote dados importantes como data de nascimento, tipo sanguíneo e Rh, profissão, doenças que já tiveram, data e causa de sua morte. Na parte das doenças, descreva-as com precisão, anotando também a idade em que as doenças apareceram.

Registre também os partos ocorridao, assim como os abortos espontâneos e provocados. Outros dados a serem acrescentados são: fazer o registro do país de nacionalidade, fotografias e após a reunião de todas essas informações, você poderá dar início à construção de sua árvore genealógica.

Alguns documentos podem ser encontrados em Associações de Saúde da Família, como Alcoólicos Anônimos, Neuróticos Anônimos, Fumantes Anônimos, Devedores Anônimos, etc.